A linha do tempo da Acidificação dos Oceanos (AO) pode ser acessada no link abaixo. No final de 2013 a formação do grupo BrOA inseriu o Brasil na relação de países que desenvolve pesquisas em AO. Alguns dos principais projetos em andamento desenvolvidos por pesquisadores do BrOA são destacados a seguir. 

Ocean Acidification timeline

______________________

Projeto EstARte-Sul Estudo dos processos físicos e biogeoquímicos que controlam a troca de carbono na interface ar-mar e Acidificação das águas nas Região de talude continental do Atlântico Sul

PI: Dr. Rodrigo Kerr

Financiamento: FAPERGS

Área(s) geográfica(s) de Atuação: quebra da plataforma continental S-SE do Brasil.

Período p/ execução do projeto: Jan 2014 - Jan 2016

Sumário: Este projeto tem por finalidade principal investigar os processos físicos e biogeoquímicos controladores das trocas de carbono na interface ar-mar na região de quebra de plataforma e talude continental da costa sul e sudeste brasileira (oceano Atlântico Sul), com ênfase no estudo dos aspectos relacionados à acidificação dos oceanos. Para tal, cruzeiros oceanográficos em épocas distintas do ano, previstos no âmbito do Projeto "Avaliação da Distribuição e Abundância de Cetáceos no talude e plataforma externa do sudeste-sul do Brasil: uma abordagem ecossistêmica (TALUDE)", serão utilizados para a obtenção de amostras biológicas e medição de propriedades físicas e químicas da água do mar, necessários para a compreensão das trocas de carbono na região de estudo.

 

 

 

 

 

 

______________________

Projeto C2RIOS O sistema carbonato marinho e fluxos de CO2 ar-mar no estuário do Rio Barra Grande (Vila Dois Rios, Ilha Grande, RJ).

PI: Dra. Leticia Cotrim da Cunha 

Financiamento: CNPq

Área(s) geográfica(s) de Atuação: Brasil SE (litoral sul fluminense).

Período p/ execução do projeto: Jan 2013 - Dez 2014

Sumário: Estudos sobre a dinâmica de nutrientes e carbono ecossistemas aquáticos costeiros nas áreas tropicais mostram um comportamento geralmente heterotrófico, ou seja, estas áreas agem como exportadoras de nutrientes e matéria orgânica para a plataforma continental adjacente, além de liberar CO2 para a atmosfera. Neste estudo pretende-se caracterizar os parâmetros do sistema carbonato marinho em escala espaço-temporal num estuário bordeado de manguezais com pouca influência antrópica (rio Barra Grande, Ilha Grande, RJ) para compreender os processos biogeoquímicos que controlam as trocas de CO2 com a atmosfera neste ecossistema. Além da caracterização do sistema carbonato, este estudo permitirá a quantificação inédita dos fluxos anuais de CO2 mar-atmosfera num ambiente estuarino na costa SE brasileira. Os resultados permitirão a modelagem biogeoquímica dos transportes de nutrientes e carbono entre o estuário e a zona costeira adjacente, segundo o modelo LOICZ. Finalmente, espera-se que os dados gerados sirvam como base para futuros estudos (a longo prazo) sobre o impacto da acidificação em águas costeiras.

______________________

Projeto - Interação dos efeitos da acidificação e do aumento da temperatura da água sobre a calcificação dos corais e de algas coralináceas incrustantes

PIRuy Kenji Papa de Kikuchi

Co-PIJosé Marcos C. Nunes, David J. Suggett, Marília D. M. Oliveira

Financiamento: CNPq

Área(s) geográfica(s) de atuação: Costa leste do Brasil (12ºS a 18ºS); extensível até 3ºS

Período para execução do projeto: 2014-2015

SumárioAs mudanças climáticas afetam os organismos construtores de recifes, como os corais e as algas coralinas, provocando alteração na relação simbiótica no holobionte (corais e zooxantelas – dinoflagelados do gênero Symbiodinium) e na fotossíntese realizada pelas zooxantelas e pelas algas. O resultado é a redução na calcificação desses organismos, e em consequência, a redução no potencial de crescimento do ecossistema recifal. Além disso, como esta resposta varia com as espécies (de corais, de Symbiodinium e das algas) e com as suas interações, pode ocorrer mudanças na estrutura de comunidades dos corais e das algas. Tanto anomalias térmicas como a alteração na química do carbonato da água promovem esses efeitos e a sua interação deve potencializar os impactos desses mudanças. Os recifes brasileiros são marginais, no sentido de que se desenvolvem em condições ambientais aquém das preconizadas como ótimas para este tipo de ecossistema. Isto vale principalmente no que se refere à turbidez e à sedimentação. Assim, este projeto tem como objetivos avaliar Avaliar a interação dos efeitos da acidificação e da temperatura da água sobre a calcificação, sobre as funções metabólicas basais (fotossíntese e respiração) de corais e sobre a eficiência fotossintética dos simbiontes associados, e na diversidade funcional das algas coralináceas incrustantes no Atlântico Sul Ocidental, através de experimentos manipulativos em aquário.

______________________

Projeto NAUTILUS Novas tecnologias autônomas na investigação e monitoramento das transformações da Água de Fundo Antártica no Mar de Weddell e Península Antártica: uma contribuição para o estudo de suas implicações à circulação oceânica e ao clima 

PI: Dr. Mauricio Mata

Co-PI: Dr. Rodrigo Kerr

Financiamento: CNPq / PROANTAR

Área(s) geográfica(s) de Atuação: Mar de Weddell, Estreito de Bransfield, Estreito de Gerlache (arredores da Península Antártica).

Período p/ execução do projeto: Jan 2014 - Jan 2017

Sumário No entorno do continente Antártico, em algumas regiões específicas, observa-se a mistura de águas superficiais oceânicas e de plataforma para resultar na formação da Água de Fundo Antártica (AFA) através de um complexo sistema acoplado de interações entre processos oceânicos, atmosféricos e de alguns componentes da criosfera. A produção e posterior exportação da AFA são partes integrantes do fechamento global da Circulação de Revolvimento Meridional (Meridional Overturning Circulation-MOC), caracterizando seu ramo profundo e atuando de maneira essencial na ventilação das camadas abissais do oceano mundial e na componente oceânica dos ciclos de carbono e nutrientes inorgânicos. Mais ainda, a importância da formação da AFA e da ventilação das camadas abissais no oceano Austral para o sistema climático da Terra está ilustrada pela influência direta em mudanças-chave nos padrões da circulação oceânica global e ciclo do carbono durante importantes transições climáticas do passado. O projeto NAUTILUS vem para contribuir com as iniciativas internacionais neste tema de extrema relevância global, através da observação sistemática da circulação oceânica e propriedades das massas de água em três pontos-chave ao longo da trajetória da AFA nos arredores da extremidade da Península Antártica: (i) o Estreito de Bransfield, (ii) o noroeste do mar de Weddell e (iii) o talude continental ao Norte-Nordeste das ilhas Shetland do Sul, particularmente da ilha Elefante.